quarta-feira, 15 de junho de 2011

JOÃO GILBERTO UM ABRAÇO EM VOCÊ


 Apresentação de João feita em 19 de julho de 1985 no Patio Central del Conde Duque de Madri - Foto: Beti Niemeyer | Divulgação
(João Gilberto - fonte:  http://atarde.uol.com.br/cultura/musica/noticias/show-espanhol-de-joao-gilberto-cai-nas-redes-sociais-1583390)

Por ocasião do aniversário de 80 anos do João Gilberto, completados na última sexta-feira, dez de junho, lembrei-me de uma bela homenagem que a ele foi feita em 1971 pelo Miltinho (do MPB-4), Maurício Tapajós e Paulo César Pinheiro. Eles compuseram “DE PALAVRA EM PALAVRA”, formada pela junção de frases de algumas músicas que foram gravadas pelo João Gilberto.

Coloquei a letra, abaixo, com a referência a cada uma das músicas de onde originaram as frases pinçadas nas gravações do João Gilberto, bem como seus respectivos álbuns.

Ouça a música, acompanhe a letra. 

(De Palavra em Palavra" - MPB-4) 

DE PALAVRA EM PALAVRA
(Miltinho, Maurício Tapajós, Paulo César Pinheiro)

Manhã, tão bonita manhã
(“Manhã de Carnaval”, de Luiz Bonfá e Antonio Maria, gravada em 1959 no compacto duplo da Odeon “João Gilberto cantando as músicas do filme ‘Orfeu do Carnaval’”)

E muita calma pra pensar
(“Corcovado”, do Tom Jobim, gravada na Odeon, em 1960 no disco “O amor, o sorriso e a flor”)

Eu amei, ai de mim, muito mais do que devia amar
(“O amor em paz”, do Tom e Vinícius, gravado na  Odeon em 1961, no disco “João Gilberto”)

Sim fiz projetos pensei
(“Só em teus Braços”, do Tom Jobim, gravada no disco “O amor, o sorriso e a flor” já mencionado)

Mas esse mundo é cheio de maldade e ilusão
(“Saudade da Bahia”, do Dorival Caymmi, gravada em 1961   no disco “João Gilberto” já mencionado)

Pra que trocar sim por não se o resultado é solidão
(“Discussão”, de Tom Jobim e Newton Mendonça, gravada na Odeon em 1960,  no disco “O amor, o sorriso e a flor”)

O amor o sorriso e a flor
(“Meditação”, de Tom Jobim e Newton Mendonça, gravada no disco “O amor, o sorriso e a flor”, já mencionado)

Meu sabiá, meu violão
(“Pra machucar meu coração”, de Ary Barroso, gravada na Verve, em  1963, no disco “Getz/Gilberto”)

O que ficou pra machucar meu coração
(idem)

Pois é tantos versos eu fiz
(“A Primeira vez”, de Marçal e Bide, gravado em 1961 no disco “João Gilberto”, já mencionado)

Dizendo a todo mundo o que ninguém diz
(“Saudade da Bahia”, do Dorival Caymmi, mencionada acima)

Alimentei a ilusão de ser feliz
(“A Primeira vez”, citado acima)

O amor é a coisa mais triste quando se desfaz
(“O Amor em Paz”, de Tom e Vinícius, gravada em 1961, no disco “João Gilberto”, já mencionado)

Doi no coração de quem sonhou demais
(“Esse seu olhar”, de Tom Jobim, gravado em 1961, no disco “João Gilberto”, já mencionado)

Eu vivo sonhando,
(“Vivo sonhando”, de Tom Jobim, gravado na Verve, em 1963, no disco “Getz/Gilberto”)

ai que insensatez
(“Insensatez”, de Tom e Vinícius, no disco “João Gilberto”, já mencionado)

Até você voltar outra vez
(“Outra vez”, de Tom Jobim, gravado em 1960, no disco “O amor, o sorriso e a flor”, já mencionado)

Eu tenho esse amor para dar
(“Só em teus braços”, de Tom Jobim, gravado  no disco “O Amor, o Sorriso e a Flor”, já mencionado)

Agora o que é que eu vou fazer
(idem)

Porque esse é o maior que você pode encontrar
(“Desafinado”, do Tom Jobim, gravado na Odeon, em 1959, no disco “Chega de Saudade”)

Mas de conversa em conversa
(“De conversa em conversa”, de Haroldo Barbosa, gravada na  Orfeon,  em 1970, no disco “João Gilberto en Mexico”)

Eu só quis dizer de palavra em palavra
(idem)

João Gilberto um abraço em você
(“Um abraço no Bonfá”, de João Gilberto, gravado no disco “O Amor, o sorriso e a flor”, já mencionado)

Hoba lá lá
(“Hoba-lá-lá”, de João Gilberto e Tom Jobim, Odeon, 1958, compacto, do outro lado de “Desafinado”)

Aos pés da santa cruz você se ajoelhou
(“Aos pés da cruz”, de Marino Pinto e Zé da Zilda, no disco “Chega de Saudade”, já mencionado)

Ah, mas que saudade eu tenho da bahia
(“Saudade da Bahia”, já mencionada)

Papai noel me deu
(“Presente de Natal”, de Nelcy Noronha, gravado no disco “João Gilberto”, já mencionado)

Dia de luz festa de sol e um barquinho a deslizar...
(“O Barquinho”, de Menescal e Bôscoli, gravado em 1961 no disco “João Gilberto”, já mencionado)

G-E-N-I-A-L !!!

Com isso, quero também externar minhas homenagens ao João Gilberto... (e aos autores Miltinho/Maurício Tapajós/Paulo César Pinheiro).

Que tal, então, o João Gilberto nos agradecer com música ?? Aí vai...


("Estate", de Bruno Martino - do disco "Amoroso", 1977)


RP, 14JUN2011


Nenhum comentário:

Postar um comentário