quinta-feira, 13 de março de 2014

NASCENTE


( Fonte: http://daydreamore.files.wordpress.com/2012/12/black-and-white-boy-girl-guitar-life-favim-com-352005.jpg)


     Foi no final de uma noite entre os anos 76 e 80, no tempo das minhas melhores descobertas. 

     Estava com amigos em um salão quase vazio, em um evento universitário. Emocionalmente distante de tudo o que se passava ao meu redor, despertei de uma grande apatia e me recompus ao ouvir a voz de um rapaz que eu não conhecia. Indiferente a todos os demais presentes no local, ele cantava na penumbra do palco, com a face direcionada para uma garota que parecia observá-lo. Acompanhava-o apenas o violão. A música era linda. Atento, eu a ouvia pela primeira vez. A medida que ia me dando conta da melodia e da letra, eu, encantado com um caso de amor que parecia estar nascendo, experimentava uma sensação tão maravilhosa quanto muitas outras ocorridas naquela época.

     Nunca mais me esqueci daquele momento tão singelo, nem daquela música tão linda. Com imagens formadas por dois jovens que faziam suas próprias descobertas, entrelaçados pelo som de "Nascente"(1), veio a aurora de um dos meus dias em uma noite como outra qualquer.

(CLIQUE NA SETA PARA OUVIR)
("Nascente" - Milton Nascimento)
                                           
     Lembro-me que saí do salão pensativo e pedi um cachorro-quente com um refrigerante em um carrinho de lanches que fazia ponto ali em frente. Trocando passos morosos pela calçada, segui até uma praça. Sentei-me em um banco entre os jardins, e fiquei esperando o dia amanhecer... Depois fui prá casa...

     Hoje me lembrei daqueles dois jovens desconhecidos com o desejo de que, naquela noite, tenha nascido entre eles um grande amor... e que esse amor tenha se mantido intenso por todos esses anos, desde então, para durar para sempre.


(1) NASCENTE
(Flávio Venturini/Murilo Antunes)

Clareia
Manhã
O sol vai esconder
A clara estrela
Ardente
Pérola do céu
Refletindo
Teus olhos
A luz do dia a contemplar
Teu corpo
Sedento
Louco de prazer
E desejos
Ardentes 


Nenhum comentário:

Postar um comentário