sexta-feira, 26 de agosto de 2016

O LEGADO DOS JOGOS OLÍMPICOS "RIO 2016"


(CLIQUE NA SETA PARA ASSISTIR)
(Abertura dos Jogos Olímpicos - Rio 2016)
(https://www.youtube.com/watch?v=j6SFYHEd2u0)


"Nenhum vento sopra a favor
de quem não sabe para onde ir"
(Sêneca)


     Durante os meses que antecederam os Jogos Olímpicos no Rio eu só conseguia ver com maus olhos a decisão de sua realização aqui no Brasil. Mas também, convenhamos. Sendo bombardeado por tanta notícia ruim, não era para menos. Estávamos recebendo um tsunami de pessimismo gerado por problemas políticos e econômicos, e por uma crise de autoestima. Era voz geral que o Brasil não tinha condição de garantir segurança para as delegações estrangeiras; que as obras não ficariam prontas; que o mosquito da Aedes aegypti iria fazer muito estrago; que, enfim, seria uma vergonha equiparável aos 7 a 1 que levamos da Alemanha na Copa - maior até!

     Mas aí veio a cerimônia de abertura que mexeu comigo, que me encheu de orgulho, que mudou meu estado de espírito, e que me fez ficar plantado em frente à televisão torcendo pelos atletas brasileiros.

     Rafaela Silva, Diego Hypólito, Thiago Braz, Isaquías Queiroz, Robson Conceição, mais pela perseverança e determinação do que por apoio recebido, foram muito além do que qualquer um poderia imaginar. E vieram ainda medalhas nas velas, a coroação do país com o futebol, e o arremate certeiro com o ouro no vôlei. No total sete medalhas de ouro, seis de prata, seis de bronze.

Rafaela Silva
(http://blogs.oglobo.globo.com/radar-olimpico/post/spotify-cria-playlist-em-homenagem-ao-ouro-do-brasil-conquistado-por-rafaela-silva.html)

     No final, a cerimônia de encerramento foi uma obra de arte: embelezou e emocionou tanto quanto a de abertura.

     Com tudo isso, como é que eu ainda poderia ficar reclamando e desconfiando da capacidade do povo do meu país? Que coisa mais chata e destrutiva!

     - "Xô!"

     Pensei melhor e conclui que precisava parar de ser ranzinza: aplaudi a "Rio 2016" como qualquer brasileiro que, saudoso da pátria, em qualquer lugar do planeta, aplaudiria o hasteamento da bandeira nacional.

     A despeito de todos os problemas que o Brasil vem enfrentando, a despeito de todo dinheiro diretamente empregado na organização das Olimpíadas, tudo valeu à pena. O legado da "Rio 2016" vai muito além de uma contabilização financeira.

     Precisamos investir em saúde e educação. Sim, as instalações olímpicas serão transformadas em centros esportivos e escolas! Precisamos também de exemplos e estímulos para podermos sentir que somos capazes de evoluir. A prática de esportes, sem dúvida, é saúde e educação.

     O resultado das Olimpíadas no Rio não pode ser medido exclusivamente por valores econômicos. Os jogos olímpicos foram aquelas sementinhas plantadas por cada um dos atletas que dela participou. Continuamos construindo um país, e em relação a isso o esporte tem papel fundamental. Os ganhos são outros, são de valores que, tal como as sementinhas, requerem tempo para se tornarem árvores frondosas. Tempo suficiente para fazer aflorar a disciplina, a força de vontade e a confiança para vencer e superar adversidades.

     Os exemplo da capacidade das Comissões Organizadoras da "Rio 2016" e da determinação de nossos atletas servem de inspiração para a formação de uma nova cultura: uma cultura de gente determinada que luta para vencer. O Brasil pode; o esporte pode; em especial nossos jovens podem (e devem!) passar por cima de todo e qualquer discurso retrógrado, pessimista e derrotista que, ao longo dos anos, vem fazendo o Brasil empacar na subida - feito burro de carga.


(CLIQUE NA SETA PARA OUVIR E CONTINUAR LENDO)
(Gonzaguinha - "E vamos à luta)

     Deixemos, pois, que os órgãos competentes cumpram suas funções institucionais, investiguem o que tiver que ser investigado e exijam satisfações de quem tiver que dá-las. Quanto a mim, só tenho que jogar a minha ranzinzice de lado, seguir o exemplo dos jovens que se comunicam, que vão à luta, que querem vencer, que propõem uma outra realidade. Que, de tênis, short e camiseta, conseguem se educar pelo esporte e rir na cara dos derrotistas embolorados.

("tudo o que se pretende requer esforço" - foto: arq. pessoal)

2 comentários:

  1. O pessimismo foi vencido pelo trabalho e a festa. Viva o povo brasileiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trabalho, determinação, força de vontade: Viva!

      Excluir