terça-feira, 3 de junho de 2014

A LARANJA, O PATO, E AS MARGENS DO RIO TYNE

                                                                                                                  Ao Rob

     O Rio Sapucai separa as cidades de Guará/SP e São Joaquim da Barra/SP. Hoje, em cada uma de suas margens, há somente ranchos, vegetação e nada mais. Mas haverá um dia, em um futuro longínquo, que o crescimento populacional ocorrerá de tal forma que essas duas cidades se desenvolverão a ponto de que suas ruas, suas casas e construções estarão às margens do rio. Em uma margem Guará; na outra, São Joaquim... 

(O Rio Sapucaí, que separa as cidades de Guará e S.J. da Barra - fonte: arq. pessoal)

     Pois lá no norte da Inglaterra, quase na Escócia, há um rio chamado "Tyne" separando duas belas cidades: Newcastle-upon-Tyne e Gateshead. A ligá-las, dentre outras, duas pontes se destacam: a Tyne Bridge (inaugurada em 1928), e a Ponte do Milênio - ou "ponte que pisca" - (inaugurada em setembro/2001). 

(À esquerda Newcastle; à direita, Gateshead. Em primeiro plano a Tyne Bridge; ao fundo a Ponte do Milênio; à direita, "The Sage" - fonte: arq. pessoal)

(Tyne Bridge, vista de Newcastle - fonte: arq. pessoal)

     Assim, da Tyne Bridge, do lado de Newcastle, olhando para Gateshead, o que se vê em destaque é uma construção de vidro bastante moderna chamada "The Sage" (uma casa de shows com três salões enormes). 

("The Sage", às margens do "Tyne", visto de Newcastle - fonte: arq. pessoal)

     E, da Tyne Bridge, do lado de Gateshead, olhando para Newcastle, o que se vê em destaque é o Guildhall (antigo centro administrativo da cidade) - além de muitas construções antigas.

(Entrada do Guildhall - Newcastle - fonte: arq. pessoal)
 (Guildhall - Newcastle - antigo salão de audiências - fonte: arq. pessoal)

(Construções em Newcastle, c/ estrutura de madeira, às margens do Tyne - fonte: arq. pessoal) 
     Lembrei-me de tudo isso ontem à noite enquanto cortava uma laranja ao meio para fazer um suco.

     Interessante essa coisa de ligação de pensamentos. Veja só. De uma laranja cheguei ao Rio Tyne! E entendo o porquê: em um primeiro jantar de confraternização rotariana de que participei em Newcastle, em 2011, fomos a um restaurante na entrada da Tyne Bridge. Nesse jantar, o prato que nos foi servido foi "pato chinês ao molho de laranjas" - daí a ligação com as laranjas do meu suco de ontem à noite.

     Conto isso também porque, depois da belíssima confraternização formal no restaurante, meus anfitriões me levaram a um pub ao lado da Guildhall. Lá tomamos vários tipos de cerveja, ouvindo um animado grupo de estudantes da Newcastle University tocar e cantar músicas tradicionais irlandesas.  

(Em um pub, ao lado do Guildhall - grupo de estudantes tocando músicas tradicionais irlandesas - fonte: arq. pessoal)
CLIQUE PARA OUVIR O QUE OUVI E FILMEI
video
(Um momento bem animado, com música tradicional irlandesa, dentro do pub. Fonte: arq. pessoal)

     Ao irmos embora já bem tarde da noite, o Rob - que me levava à casa do Peter em Cramlington, onde eu estava hospedado (a 14 quilômetros de Newcastle) -, animado com a conversa no carro, com as cervejas que haviamos tomado e os ritmos das músicas que havíamos ouvido, errou o caminho em uma das muitas rotatórias existentes por lá. E, ao se dar conta disso, ficou todo sem jeito, me pedindo mil desculpas.  

(O Rob - fonte: arq. pessoal)

     Enquanto ele consultava mapas rodoviários, eu, contente por estar naquele lugar do mundo onde nunca havia imaginado estar, fiquei me lembrando das muitas vezes em que me perdi pelas ruas e estradas do Brasil, e do que sempre ouvi de minha mulher em situações como essa: "nós não estamos perdidos; nós estamos tendo oportunidade de descobrir novos caminhos!". E foi justamente isso que respondi ao Rob pelos seus pedidos de desculpas. E seguimos a rota do mapa até chegarmos em Cramlington.

 (Cramlington - detalhe - fonte: arq. pessoal)

     Naquela noite não dormi direito. Estava doido para amanhecer o dia e criar cumplicidade com os detalhes de cada uma das coisas para as quais eu estava sendo apresentado. 

     Agora aqui, relembrando tudo isso, filosofo comigo mesmo:

     - "Uma laranja pode conter duas cidades as quais, divididas ao meio por uma faca, derramam seu suco... que são as águas do Rio Tyne". 

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Uau... um comentário em inglês! Obrigado, mais uma vez, pela disposição em ler e comentar o texto. Grande abraço.

      Excluir
  2. Gostei do texto e também apreciei o comentário da esposa, dizendo que nunca estão perdidos... estão descobrindo novos caminhos. É por aí, Elias. Abraço!

    ResponderExcluir