quinta-feira, 9 de março de 2017

SUÍTE DOS PESCADORES


(CLIQUE NA SETA PARA OUVIR DURANTE A LEITURA
E ASSISTIR LOGO APÓS)
 - introdução e pedido inicial de Vinicius de Moraes -
("Suíte dos Pescadores" - Dorival Caymmi - trecho de filme de Orson Welles. Essa gravação faz parte do CD,  Vinícius e Caimmy no Zum- Zum, acompanhados do Quarteto em Cy e do conjunto do Oscar Castro Neves
https://www.youtube.com/watch?v=3XZ-2iK3SCM)


     Dorival Caymmi foi um cantor e compositor baiano. Suas composições concentravam-se nos costumes e tradições de seu povo. Procurando mostrar como é o dia a dia do homem do mar ele compôs uma música genial sobre a vida dos pescadores - homens que se levantam bem antes do sol nascer, que caminham para o mar, que em suas jangadas lançam-se a ele para a pesca; e que, contando suas histórias, retornam às suas moradas no final do dia.

     A sucessão de atos no dia do pescador tem ritmos diferentes. Por isso, para descrevê-los Caymmi compôs uma "suíte"*.

 (fonte:http://marcondesviana.blogspot.com.br/2008_07_01_archive.html)


     Essa suíte - a "Suíte dos Pescadores" - começa com uma marcha que representa o movimento determinado dos pescadores empurrando, juntos, uma jangada para o mar. Eles levam consigo a esperança de uma boa pescaria e de um regresso certo às suas moradas.

     Caymmi também foca suas atenções na mulher que aguarda o retorno de seu companheiro. Ele a descreve na praia, despedindo-se de seu herói do dia a dia. Nessa despedida ela evoca a proteção de Deus para que o tempo seja bom, para que seu homem possa retornar em segurança e descansar de sua jornada em uma cama por ela arrumada, macia e perfumada.

     No entanto, na suíte, Caymmi quebra aquela rotina mansa e pacata que seria de se esperar. No horário habitual os pescadores não regressam. Esse imprevisto provoca muita angústia em suas companheiras. Elas, então, incomodadas com a demora, vão à praia e clamam pelo retorno de seus homens.

      Na praia, juntamente com as mulheres, os amigos e familiares daqueles pescadores conversam, aguardam, relembram as recomendações feitas anteriormente à partida deles quando parecia haver um prenúncio de temporal.

     E as mulheres dos pescadores, de olhos postos no mar, da praia até o horizonte, aguardam o retorno de seus companheiros; passam a expor sua solidão e suas incertezas; seus temores, seus tormentos e inquietações, enquanto ainda mantêm a esperança do regresso de seus homens...

     E no início da noite, com o temporal e a consequente quebra na rotina dos pescadores, de suas mulheres, familiares e amigos, a pesca malsucedida, vem a certeza da tragédia, do desaparecimento.

      É a despedida. É o fim de uma jornada de pescadores que foi malsucedida.

     Brilhantemente contada por Caymmi, a suíte termina com a marcha inicial representando um novo dia, com outros pescadores lançando a jangada ao mar.

     Assim como os pescadores, todas as manhãs conduzo minha jangada para o mar inquieto das ruas da cidade. Lanço minha rede no asfalto com a esperança de que meu trabalho seja bem sucedido, que eu possa ser útil; que no começo da noite possa estar de volta à minha casa. Carrego a certeza de que, ao chegar, repousarei abraçado àquela a quem amo, ouvindo o silêncio, o vento e a chuva, com a mesma paz de todas as noites. Não penso nas tempestades, mesmo estando sujeito a elas. Assim como o pescador atira sua rede em pontos diferentes do mar, procuro inovar o traçado do meu dia para que minhas jornadas me ensinem coisas novas. Não sou senhor do que me está reservado; mas compreendo que é justamente na simplicidade daquilo que realizo que a vida me oferece a oportunidade de sentir o seu sabor. Que, até a chegada da derradeira tempestademinha pescaria pode ser doce... ou pode me levar para as profundezas do mar.   

___________________________  

*"Suite" é um termo de origem francesa que significa série, sucessão. Musicalmente, consiste de uma peça com vários andamentos instrumentais diferentes.

2 comentários:

  1. E a Deus do céu vamos agradecer. Pela marcha da vida, pelo pulsar, pela impermanência, e pela certeza da vida eterna em outro nível. E também por textos necessários e belos, como estes que nos oferece, Elias. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, agradecer por tudo... pelos amigos, pela liberdade de poder se expressar... Obrigado.

      Excluir