quarta-feira, 7 de novembro de 2012

OS AMIGOS E O QUINTAL



     No quintal, debaixo de uma mangueira, nos posicionávamos. À nossa frente, o fotógrafo. Comemorávamos os aniversários. Meninos e meninas de um tempo que já vai longe. Amigos. Todos transbordando os anseios de uma vida inteira. O que foi feito dos sonhos de cada um? Constituímos nossas famílias, procuramos outros horizontes, partimos para lugares distantes, acertamos e erramos...: o que importa é que deixamos no quintal muito do que fomos naquele dia, naquela hora...

 ("A comemoração de um aniversário meu" - fonte: arq. pessoal)


 ("A comemoração de um aniversário da minha irmã" - fonte: arq. pessoal)


     Hoje, no quintal, já não há mais a mesma mangueira... 

 ("O quintal" - fonte: arq. pessoal)


     Mas há um mamoeiro, uma bananeira, uma mexeriqueira e muitas plantas.

 ("As plantas no quintal" - vista parcial - fonte: arq. pessoal)


     Nas tardes de sol há maritacas e pardais. Ao fundo, além do muro, um cipreste enorme aponta para o alto, como que a indicar o futuro. O quintal guarda a memória dos bons amigos que um dia fomos... e que sempre haveremos de ser.


(CLIQUE NA SETA PARA OUVIR)
("Amigos para siempre" - friends for life - Andrew Lloyd Webber / Don Black - composta para as Olimpíadas de Barcelona, 1992)
 

8 comentários:

  1. Que delícia de quintal, de plantas, de fotos....
    muro baixo....Saudades.

    ResponderExcluir
  2. saudades do pouco que me recordo .....

    ResponderExcluir
  3. Reconheci vários, não todos, vamos lá:
    Mário Antônio, Duardo, Maurinho, Welsinho, Elias, Daniel, Valmir, o que está mostrando a língua, entre o Dié e o Valmir é o filho do Sr. Rubens da Farmácia, não lembro do nome. Na sequência dos que reconheci, estão o Divino,o William e o Hamid.
    Da patotinha menor, reconheci o Ricardo meu irmão! Ajudem aí! Abração, amigos para sempre!

    ResponderExcluir