sexta-feira, 1 de julho de 2011

ANA MOURA

Descobri a Ana Moura há pouco tempo. Inspirado pela beleza dos fados cantados pela moçambicana Mariza, "fui atrás" do tempo perdido por desconhecer a densidade de um fado. Nessa busca, fiquei encantado com a timidez, a simpatia e a beleza jovial da Ana Moura, a começar por "Rumo ao Sul". 

("Rumo ao Sul" - Ana Moura) 

Em "Os búzios" (de Jorge Fernando), ela canta o desejo de se projetar um destino...

"Pois eu vou mexer o destino, vou mudar-te a sorte"... 

("Os búzios" - Ana Moura) 

Penso que, de verdade, em torno do sentimento e da beleza, também de um fado (aliado à meiguice da Ana Moura), mexemos no destino, programamos um novo tempo construído só de coisas boas...

"Não há religião nem ciência acima da Beleza. Eu construiria uma cidade à beira do mar, e numa ilha do porto erigiria uma estátua não à Liberdade, mas à Beleza. Pois foi ao redor da Liberdade que os homens travaram suas batalhas. Por oposição, ante a face da Beleza, todos os homens estendem as mãos uns aos outros como irmãos."
(Gibran Khalil Gibran)

Na Beleza, as pessoas e o mundo se transformam... para melhor.

RP, 01JUL2011

2 comentários:

  1. Fado é demais!!! Estes dois eu não conhecia, são igualmente belos!!!

    ResponderExcluir
  2. Há tantos ainda por serem descobertos...

    ResponderExcluir